quarta-feira, 4 de julho de 2012

ESCALADAS NA SERRA DO RIO DO RASTRO


Setor de escaladas do Rio do Rastro



Um certo dia subindo a serra para fazer uma travessia junto com o a Fran, Filipe e Renato Ronchi observamos uma falésia de arenito com muitas fendas aquelas de entortar o pescoço, o filipe logo me comentou todos que passam aqui falam um dia vamos voltar e escalar estas fenda e fizemos o mesmo e partimos para nossa travessia que consistia em partir da serra do Rio do Rastro a trilha dos Tropeiros em Nova Veneza depois disto voltamos para nossos projetos de escaladas na Serrinha e no Morro da Mina.
Foi voltando da serrinha que o Nando me ligou perguntando se conhecíamos as ditas fendas e fez o convite para fazer a primeira investida no próximo find, logo topei! Então no sábado de manha cedo tomei o ônibus para Laguna para encontra o Nando e partir para a serra em busca das fendas perfeitas, neste dia conhecemos a Dona Marlene que cuida das terras e logo nos dize isto é difícil de escalar meus filho mas vão lá! Pegamos os equipos e fomos entrando mato a dentro em busca de duas fendas linda que se tornaram chaminé, escolhemos a mais curta e tocamos para cima 28m de fenda saindo de uma chaminé de 10m de 3º entrando em uma fenda negativa em diagonal de 6º para fora entrando em um diedro vertical e foi ai que saiu a primeira vias que ficou assim Rio do Rastro 6º E2 , fomos para a base da outra chaminé deixamos água e fomos embora.


A esquerda Nando na parada da via Frenesia Serrana, o diedro mais a direita é a via Rio do Rastro 
Chegando em casa contamos do feito para os conhecidos e combinamos com o Filipe de ir no próximo find. Sábado pela manha nos encontramos lá novamente e fomos em direção ao grande diedro com alguns tetos sobre ele, achávamos que seria um via rápida de conquistar, engano nosso passamos o dia todo conquistando 60m de via, chegando na base ficamos um empurrando para o outro a ponta da corda do trepamato, peguei a ponta e sai guiando a te a base de um diedrinho onde montei a parada com umas peças pequenas tipo .4,.3 e .2 e uns micros para direcionar então os escaladores subirão a reunião

Primeira parada da via Os Rabugento


Filipe na saida da via

 Filipe pegou a ponta da corda e seguiu em direção do grande diedro esticando 35m de corda ate o teto então seguimos escalando o Nando e depois foi a minha vez de escalar a aquele diedro fantástico com uma virada em um pequeno teto que ficou em torno de 7º entrando em um diedro vertical a te uma arvore onde foi montado a parada para eleição do próximo escalador e da rota que poderia ser para a esquerda ou para a direita.









Nando na passada do teto dos Rabugentos




Tomei novamente a ponta da corda e escolhi ir para a direita por baixo do teto que avia uma venda e uns buracos onde cabia umas peças e saiu um A2 talvez em livre 7c com um visual alucinante batemos a parada a mão depois da bateria da velha furadeira cair e ter que fazer o furo com a broca na mão o Filipe manda a outra bateria para o nando que sobe ate mim e bate o segundo grampo e o sol se foi rapelamos e encontramos o filipe e fomos montar o acampamento para dormir a luz da lua e que lua.








                Bruno no A2 dos Rabugentos









RABUGENTOS 6ºVII E3 A2(VIIc)60m




Na manha seguinte fomos ate a chaminé onde deixamos água no find passado, o nando tomou a ponta da corda e saiu guiando a chaminé larga que se afina no final e se faz uma travessia para fora por dentro da chaminé estreita chegando em um diedro gigante com um teto sobre ele onde batemos um grampo para rapel e desemos, já estávamos cansado e fomos ver umas linhas esportivas mais abaixo e brincar nos projetos novos, a via é Frenesia serrana 6ºE3 30m.











Nando na chaminé Frenesia serrana




Mal posso ver a hora de voltar lá escalar os próximos projetos e levar mais escaladores para poder desenvolver melhor aquele setor de potencial gringo pois tem uma falésia negativa para esportistas fantástica que merecia ate uma final de campeonato de escaladas tipo aquele que rola na França mais isto não é para nos que preferimos um jogo de camalots , friend e nuts pindurados na cadeirinhas que simplesmente um jogo de fitas expressas,, mais tem via para todos os escaladores vamos lá galera das pedras desenvolver este setor serrano só deixe as fendas para nos kkkk.











Nando da primeira parada dos rabugentos.

sábado, 1 de outubro de 2011

Caminhada e Sandboard Praia de Garopaba Siriú



No dia 27/09 A Garopaba Vertical, alunos da Escola Paulo Freire e JS Agency Tour, percorreram as praias de Garopaba até as Dunas do Siriu para aproveitar o lindo dia de sol para a Pratica do Sandboard. A Caminhada pelas areias fofas do Siriu aqueceu essa galera que não se entregou e curtiu ao máximo essa trip! Nossos condutores fizeram questão em passar informações sobre a região e seus atrativos. Puderam ainda, aproveitar para observar as baleias que faziam seu show particular bem próximo aos seus olhos!

Descidas radicais dos alunos por essas areias brancas do Siriú colocaram mais emoção neste passeio, que foi finalizado com Visitação a Fábrica da Mormai e Slakeline para testar o equilíbrio dessa gurizada! Valeu Galera!

sábado, 20 de agosto de 2011

Travessia Anitápolis-Urubici




A muito tempo sonhava em alcançar o ponto mais alto de Santa Catarina o Morro da Boa Vista 1827msnm, situado no Campo dos Padres, divisa entre Urubici e Bom Retiro sobre o platô da Serra Geral uma imensa muralha de mais 600m de altura que se estende de Cambará do Sul a Alfredo Wagner.Passei alguns anos pesquisando sua localização e melhor aceso para se chegar até lá, fiz uma investida a Urubici e Morro da Igreja 1824msnm segundo ponto mais alto da Serra Catarinense de Bike descendo a Serra do Corvo Branco em direção a Tubarão mais isto é outra história, pesquisas na net e Google Earth descubro a trilha do índio em Santa Rosa de Lima que se acesa por Anitápolis e se alcança o Campo dos Padres ponto de partida para o Morro da Boa Vista,agora só falta um parceiro ou vou só.
Consegui vários relatos e comecei a mostrar e recrutar todos que conhecia mais todos no final arrumavam alguma desculpa tipo falta tempo,grana,equipo,entre outros; não me importo, com a chegada do inverno começo a agilizar a Trip minha namorada que está entrando na onda do montanhismo me diz que topa esta mais tinha pouco preparo,então primeiro vamos treinar,fizemos algumas caminhadas puxadas de subir e descer morro em Garopaba depois Pico do Tabuleiro e Cambirela,estamos prontos só falta alguns equipos que fomos adquirindo durante o treinamento e outras informações como carta topográfica e translados então marcamos para agosto e fomos montando melhor a Trip.
Com a chegada do Agosto começo a baixar as cartas pelo Google e ligar para as prefeituras de Anitápolis e Urubici onde fui muito bem atendido,em Anitápolis me passaram o telefone do seu Loreni que está começando uma Pousada(Encantos da Serra) na estrada da Serrinha que da aceso a Trilha dos Índios que me atendeu com muita gentileza e se prontificou em nos buscar na parada de ônibus até sua pousada e no dia seguinte nos levar ao pé da serra, agora só falta o tempo cooperar de olho no CPTEC, então aparece uma brecha de 3 dias começamos a armar as mochilas e avisar os parentes e amigos que estamos indo e todos dizem seus loucos está frio lá em cima com esta chuva,então digo que quero estar perto para podermos fazer o ataque conforme a previsão do tempo.
Então chega hora de partir,quarta feira dia 10 de agosto de 2011,está tudo pronto para partir não, meu companheiro de trabalho não quer me cobrir no dia do meu plantão então acordo cedo pego minha bike e vou correndo para a ACADEMIA PINGUIRITO dar aula de escaladas para as criança da escola Perfil e a Fran vai arrumar oque falta terminando a aula volto para casa então pegamos o Paulotur, das 11:30 rumo à Florianópolis distante 90km chegamos 13:30 vamos almoçar e comprar gás passamos no IBGE compramos a carta topográfica de Urubici e voltamos para o Terminal de Ônibus Rita Maria onde iremos pegar o ônibus das 15:00 em direção a Anitápolis,chegando lá seu Loreni nos aguardava com seu fusca de montanha onde nos levou até sua pousada distante 13km do centro que fica a meio caminho do imenso paredão da serra,sempre falando sobre turismo na região,chegando nos mostrou sua pousada e o que pretende desenvolver enquanto sua esposa nos prepara uma deliciosa janta, acompanhado de um bom vinho que ele disponibiliza para venda a Fran foi dormir e ficamos falando sobre turismo sustentável na região.
No dia seguinte dia 11 de agosto acordamos com um dia lindo e um delicioso café da manhã e seu Loreni diz que ele e sua esposa nos acompanharão até os campos de altitude, pois ela nunca havia estado lá, entramos no fusca com um pouco de dificuldade pois nossas mochilas estavam abarrotadas de equipos e alimentação para 5 dias apesar que pretendíamos passar somente 3 noites, mas em caso de algo der errado estamos preparado,rodamos mais 13km enquanto nos maravilhamos com a paisagem local fomos pouco a pouco nos aproximando da grande muralha da Serra Geral que é magnifica,chegando próximo desembarcamos, tiramos algumas fotos, mochilas nas costas seu Loreni nos oferece ajuda para carregar nossa mochilas mais não aceitamos, ele toma a frente e começa a nos guiar pela trilha dos índios acima rodeada de paredes e topos intocados pelo homem a maior vontade é de arrumar um parceiro e conquistar aquelas agulhas imensas é o único aceso aos campos de altitudes,depois de 3horas de caminhada interruptas alcançamos o Campo dos Padres com um sorriso na orelha, vamos subir mais um pouco mas o pessoal esta cansando então subo só, para poder me localizar no mapa enquanto eles vão fazer um lanche,sigo subindo e subindo até que acho que é o bastante para me orientar consigo avistar a nascente do Rio Canoas e a base do Boa Vista mais seu cume está coberto por uma forte nevoa que se aproxima com velocidade de nós, com um forte vento, desço correndo me sentindo como um cavalo selvagem em meio aquela imensidão,chegando até o grupo,despedimo-nos de seu Loreni e sua esposa e caminhamos em direção ao Canoas para descolar um bom lugar para montar acampamento atravessa charco e rios as botas já estão com mais água que o próprio canoas um desentendimento com a Fran deixo ela sentada em uma pedra e vou procurar um lugar protegido do vento e da nevoa,volto e digo e que encontrei e lugar mais ela quer ir mais além então deixamos as mochilas e fomos fazer um reconhecimento da área,voltamos fiz um lanche que não havia tido tempo ainda pegamos as mochilas e fomos buscar o lugar para acampar próximo ao Rio Canoas, um córrego com umas arvorezinhas com um gramado em baixo perfeito e protegido do vento então começo a montar acampamento enquanto a Fran faz uns vídeo e busca água para o café e fizemos uma comilança que não rolou nem janta,curtimos a lua que apareceu linda naquela noite e fomos dormir,acordamos cedo e um belo dia vem outra vez nos presentear sem vento e com muito sol preparamos o café ainda com um pouco de frio e nossa mochila de ataque com um pouco de comida roupas quentes,lanterna,manta térmica de emergência e garrafa de água para encher no canoas e fomos rumo ao norte em direção a beira dos perais para poder ver a vista de longe onde se pode ver ao longe a Serra do Tabuleiro, algumas fotos e continuamos caminhando pela borda sobe e desce morro até avistar o Morro da Boa Vista e do Chapéu,avistamos uma crista que se pode acessar o topo do Boa Vista descemos de onde estamos, passamos por um colo, então chegamos a crista onde podemos ver melhor o Morro do Chapéu e o Rio dos Bugres que nasce em sua base, mais fotos partimos para o objetivo do dia o topo do Boa Vista, caminhamos mais uma hora e alcançamos seu topo chapado e encharcado, acredito que seja devido as nevascas da semana passada,apreciamos a vista fotos e resolvemos descer pelo outro lado em direção ao nosso acampamento e olhar o caminho que iremos pegar no outro dia, passamos o dia maravilhados com tanta beleza da região fazendo o que mais gostamos subindo e descendo morro e tirando fotos maravilhosas,mas está muito fácil, então quando avistamos o nosso acampamento nos deparamos com uma mata densa, que horror temos que atravessar isto e parece que o sol quer se esconder não podemos nos perder, pode vir nevoa, cair a noite e ficar preso no mato sabendo que nossa barraca está logo ali em baixo, a Fran teve uns chiliques enquanto eu apressava ela para sairmos logo dali em meia hora, varamos o mato e pegamos novamente o descampado e um mato mais com trilha e mais campos e o Rio Canoas está a nossa frente, UFA são e salvos, atravessamos e estamos em nossa humilde residência móvel chegamos tirando todas aquelas vestimentas úmidas e lameada e fomos lavar tudo inclusive nós, nas águas geladas do Canoas sem produtos químicos e que água maravilhosa parece até doce de tão pura, depois do banho fomos nos secar ao sol que ainda brilhava com intensidade sobre os campos, colocamos as roupas para secar e fomos fazer um café e descansar ao cair da noite tudo já estava limpo e seco para o outro dia,jantar de capelete ao molho de queijos a luz do luar e adormecemos junto com as montanhas.
No dia seguinte acordamos cedo água para aquecer para o café, desmonta acampamento arma as mochilas espiadinha no mapa e descemos o canoas até seu salto onde paramos para comer e se orientar e foi onde apareceu a grande dúvida, será que estivemos no Boa Vista mesmo parece ser aquele ali que vemos agora se estiver errado toda a logística também como iremos sair daqui estamos perdidos, calma Bruno, senta come algo, bebe água, olha os mapas, pede ajuda aos seus antepassados indígenas, que o sangue deles ainda corre em suas veias e acredita em si, toca para frente,vou bater a trilha só e me deparo com o cânion do canoas pronto não é aqui volto pego a Fran e começo a subir por uma trilha de tropeiros mais muito apagada e cheia de bifurcações árvores caídas,lamaçal e até mesmo Búfalos para minha surpresa,caminhamos sempre por bosques de araucárias que nos impedia de nos orientar, então foi quando eu avistei um monte descampado tirei a mochila e fui ver como era lá em cima enquanto a Fran preparava um lanche, pois ja passava do meio dia olhando lá de cima me senti um pouco perdido mais parecia que estava no caminho certo,lanchamos e fomos novamente em direção ao sul contornando morros em meio ao imenso bosque de araucárias pegamos algumas trilhas de bois que nos desviou do nosso caminho mais quando me deparava estar perdido, voltava tudo até me achar novamente, sobe morro cruza rios e cachoeiras nos deparamos com um rapaz que estava sapecando os morros para fazer pasto para o gado e nos falou que estávamos perto de nosso objetivo o Cânion do Espraiado cerca de 30minutos continuamos caminhando e caminhando até encontrar a estrada que leva ao morro das antenas, rumamos para o sul, largo a mochila e a Fran e vou olhar atrás de uma colina, não caminho muito e me deparo com aquele grande Cânion e me arrepio por inteiro mais ainda falta muito para alcançar a sua borda continuamos caminhando já passa das 15:00 da tarde e a Fran começa a ficar impaciente para montar o acampamento que estamos perdidos e vai cair a noite, vamos ficar preso neste matagal, eu quero acampar aqui então tenho que me apressar para sair dali e já estamos esgotados de caminhar o dia inteiro, então enfim conseguimos alcançar os campos que rodeiam o cânion,agora a preocupação é um lugar onde possamos armar a barraca que seja seco e protegido do vento, procurei e achei um em meio a alguns arbustos próximo da água, que beleza começamos armar acampamento e a bruma subia as paredes do cânion logo serrando tudo e começo a fazer tudo rápido até mesmo a lua vem nos dar uma espiada e logo a bruma a esconde novamente,a Fran prepara uma sopa de feijão quentinha e fomos dormir açoitados pelo vento forte daquela noite misturado com a nevoa que virou uma chuva fina, foi a noite mais longa de toda a travessia, passei quasse toda a noite em claro pensando como sair dali se continuava até o Corvo Branco ou voltava parte da trilha e ia em direção ao Rio Canoas; amanhã decido,acordamos com uma forte nevoa, engolimos algo desmontamos acampamento e partimos pela mesma trilha até alcançar a estrada novamente, foi o ambiente mais sinistro que já vi devido a umidade da nevoa nas árvores cheias de barbas de pau parecia neve depois que alcançamos a estrada que já fica do outro lado do morro, a nevoa estava mais calma e a Fran também que caminhava rápido, sabendo que estava no fim da Trip enquanto eu andava cada vez mais devagar para aproveitar cada minuto restante desta aventura apesar de faltar meio dia de caminhada,passamos pela reserva do Leão da Montanha que infelizmente não cruzou a frente das lentes da minha câmera, também encontramos dois pesquisadores que estão pesquisando sobre os dispersores da semente da araucária que segundo eles não é a Gralha e sim os roedores, continuamos caminhando e chegamos novamente ao Canoas e agora é só seguir em frente até a estrada que leva a Urubici ou ficar no Refugio Rio Canoas mais a vontade de voltar a civilização e comer algo em um restaurante e tomar um vinho era a minha maior vontade,depois de horas caminhamos os pesquisadores nos oferecem uma carona até o posto de gasolina no centro de Urubici dali a pouco já estamos na porta da Pousada Arco iris que fomos muito bem recebidos por Dona Leti, apesar da sujeira e de nossas enormes mochilas com simpatia nos levou até um quarto onde havia ficado na outra vez que estive lá, mais pedimos para trocar pois precisávamos de espaço para poder limpar e organizar a bagunça.
Depois do banho fomos tomar café em lugar que ela indicou o Canto do Sabiá a Fran já havia feito contato com eles pois pretendíamos morar lá, estávamos buscando lugar para trabalhar mais acabamos ficando por Garopaba,chegando lá achamos o lugar maravilhoso ambiente rustico com lareira uma boa carta de vinhos e um bom café e wrapp de chocolate era tudo que precisávamos no momento, conversando com o Sabiá descubro que já o conhecia de umas trips em Garopaba na época estava me preparando para ser Guia conversa vai conversa vem nos despedimos e fui mostrar a cidade para a Fran e decidimos jantar na Taberna mais estava fechada com a falta de ambientes culturais na cidade voltamos para o Canto do Sabiá onde bebemos vinho da região comi entrevero e a Fran wrapp de truta buscando conhecer e valorizar o produto oferecido pela região então caiu aquela chuva, pedimos um táxi mais o Sabiá gentilmente nos levou até a pousada onde adormecemos depois de entornar duas garrafas de saboroso vinho de altitude, mesmo assim acordamos cedo novamente tomamos café, calçamos nossa botas molhadas e saímos caminhando pela cidade com nassas roupas de treking e as pessoas nos olhavam como se fossemos alienígenas nos nem ai fomos até a secretaria de turismo onde fomos muito bem recebidos pelo Guia local, Iram que nos contou um pouco sobre a cidade pergunto onde estávamos indo e gentilmente no ofertou uma carona até a estrada que nos levaria a Cascata do Avencal com 100m de altura, fizemos algumas fotos e fomos expulsos com seu borrifos de água na volta encontramos um casal que estava indo até aqueda e na volta nos oferecem carona, mais preferimos caminhar pois pretendemos subir o Morro do Avencal para poder visitar as inscrições rupestres datas de 3000 anos atrás sua grande sensação é a máscara do guardião fotos, descemos o morro em direção ao centro passamos enfrente uma cafeteria e resolvemos entrar e tomar um café e pensar se vamos conhecer outro lugar mais nossos corpos não aguentam mais, então voltamos para a pousada no caminho encontramos o Iram que nos conta mais umas histórias e fomos descansar mais tarde fomos jantar no Urubici Park que nos ofereceu uma comida muquirana e fomos dormir.
Hora de partir vejo a previsão do tempo e da vontade de ficar, mais quarta tenho aula de escalada e não posso deixar os futuros escaladores de Garopaba na mão, tomamos café, pegamos o ônibus enfrente a pousada e nos despedimos da cidade rumo a Floripa curtido a bruma sobre os vales ao chegar a Rancho Queimado podemos ver o Pico do Tabuleiro onde haviamos passado uma noite em seu cume rodeado de nuvens, falo dele pois a próxima travessia será ali mais isto é outra história rumo a Floripa avistamos o Rio Cubatão a empresa de rafting da TDA do Keko avistamos também o Cambirela então chegamos a Florianópolis e fomos almoçar,aproveitando que estávamos na capital fomos vistar o Museu do Homem do Sambaqui onde fomos recebidos pelo Cide com muito conhecimento nos falou sobre arqueologia,geografia,geologia e outras coisas mais que podemos saber melhor sobre os lugares que andamos por Santa Catarina, de volta a Garopaba já era noite mais ainda tínhamos que lavar os equipos jantamos no Alca pone pizza do Cezar com cerveja dormir e ir dar aula na ACADEMIA PINGUIRITO voltar para casa e retomar os estudos e a vida que ainda estou pondo em ordem e somente hoje consigo escrever oque foi uma das grandes superação da minha vida sair de dentro do Campo dos Padres com a Fran são e salvos um lugar onde poucos se aventuram.

Agradeço com todo o meu coração a grande força que rege a terra que nos possibilitou esta grande aventura nos mantendo sempre consciente do que estávamos fazendo sem entrar em desespero,agradeço Acima de tudo a minha Mãe que mesmo sempre com medo me apoia em minhas aventuras, a Fran que me acompanhou nesta, a Briguite da Academia Pinquirito que me pagou por construir a parede de escaladas onde pude ter grana para financiar esta expedição, ao meu companheiro de trabalho Mauro Garcia,A Prefeitura de Anitápolis que sempre me atendeu gentilmente buscando responder minhas perguntas,ao Seu Loreni que nos levou até a trilha facilitando nosso aceso ao Campo dos Padres e a todos que aqui ficaram torcendo por nos e é claro acima de tudo a DEUS....


domingo, 26 de setembro de 2010

Corrida de Aventruras Academia da Praia

Gostaria de parabenizar os atletas Garopaba Vertical Juliana(Remo),Bruno
(Bike) e Dimitrius(corrida) pela boa performace e a conquista do decimo primeiro lugar da primeira corrida de aventuras da academia da praia,que contava com 25 equipes,agradeço a toda a organização deste evento e parabeniso a todos presentes que tornaram este evento possivel.

Trip Bagé 2010


Hoje, depois de uma semana que vivi uma experiência incrivel em Bagé escalando com o companheiro Érico consigo postar esta matéria.
Sexta feira 17 de setembro de 2010 as 13:00h embarco no ônibus com destino a Porto Alegre, após 7 horas de viagem chego ao terminal rodoviário de POA e lá estão me aguardando ansiosamente os companheiros Érico e Camilo para irmos comprar mantimentos para a trip e partimos. Depois de mais 4horas de viagem chegamos ao local chamado casa de pedra, uma enorme pedra que se pode entrar embaixo digo que caberia com certeza mais de duas carretas sob ela, montamos acampamentos tomamos uma caneca de vinho falamos com outros companheiros de escalada, analizamos as vias de escaladas e escolhemos qual fazer, então o projeto foi o seguinte mandar todas as vias mais longas com graduação entre quinto a sexto sup e fomos dormir.
Na manhã seguinte sábado dia 18 de setembro, café, pão, salame e queijo, separa o lanche e água para a escalada e lá vamos para o Pico do Morcego um belo monolito de pedra que conta com duas das vias que pretendiamos fazer, me proponho a ir primeiro escolho a via de nome Papagaio Pirata 6a 70m me preparo dou uma boa olhada e começo a subir antes do segundo grampo fico um pouco perdido pois não conheço a rocha, mais começo a entender chegando até o segundo grampo costuro e utilizo a expressa para espiar para cima e entender por onde passa o traçado da via e continua subir até a parada que se encontra em uma caverna com excelente platô, preparo a segue espero o Érico chegar algumas fotos e agora é sua vez de subir, depois de alguns minutos nos encontramos no cume do Pico do Morcego nos parabenizando, algumas fotos escrevemos no livro de cume e fomos descer pela via Face Oculta, contornamos a pedra e achamos a via Edegar Kitteiman 6a uma linda via que começa em uma off-widths que deve ter um 15m e lá vai o Érico guiando este lance, chegando até a reunião avisa que posso subir passo a fenda e encontro uma colméia de abelhas um pouco revoltadas finjo que não as vejo e continuo chegando na reunião começo a guiar a próxima enfiada de corda chegando até o cume novamente descemos e caminhamos para o acampamento, que se encontrava vazio todos estavam envolvidos com suas escaladas aquele sanduba e descanso, a noite cai e começa a preparação para a janta, vou até o acampamento vizinho para falar com o Orlei que a muito não via jantamos e dormimos pois amanhã tem escalada cedo.
Domingo,19 de setembro acordamos comemos e fomos escalar começamos por Saramandai 5sup 60m, guio toda ela e Érico vem em seguida e descemos caminhando, a sugestão é a via Seu Nadico chegamos até a base da via e encontramos com oThiago Balen e Silvia que pretendiam escalar a mesma via como local e cheio de vias fomos procurar outra e chegamos na base da via Entre o Sol e a Lua 5sup 90m, um de cada vez fomos revezando nas cordadas até o topo nossa terceira pedra como não havia grampos para rapelar com uma corda resolvemos descer caminhando, caminhamos por todo o complexo e nada de uma saida foi quando encontramos uma ravina que o o Érico quis descer mais eu não gostei da idéia de sujar toda a minha corda naquela grota voltamos e rapelamos pela via mesmo utilizando somente um grampo em determinado ponto muita tensão até a base, aproxima via é o Enigma do Surucua 6a serca de 80m e tomo o equipo em minha cadeirinha e começo a escalar, uma escalada de agarrinhas agarrinhas, agarrões agarrinhas agarrinhas, agarrões agarrões e agarrinhas e assim segui sempre uma parede vertical constante magnifica faltando 8m para acabar minha corda não consigo ver a parada e começo a cansar e ficar preocupado pensando que terei que fazer a reunião em um grampo só naquela parede vertical foi quando vejo a parada dupla então me supero um pouco mais e chego até lá, Érico começa a escalar vem subindo, subindo passa por mim e continua a tocar para cima e me aguarda para fazer os rapéis para a base da via parabenizações e de volta ao campo base, comida o sol começa a se pôr e fomos para nossa última via do projeto Seu Nadico 6sup erico guia a primeira cordada com as últimas luzes de sol, monta a reunião e começo a escalar com a luz da lua que deixa as coisa mais complicadas não da para ver onde pôr os pés até que e acostumo chegando na reunião passo a lanterna que esta na mochila para meu companheiro que começa a tocar para cima e mais uma reunião então mando o final da via completando nosso projeto de 6 vias de escaladas em 2dias somando mais de 350m de paredes, já noite optamos por descer caminhando com um lua que parecia dia chegamos ao acampamento e o jantar esta quase pronto graças aos companheiros que haviam chegado antes, carreteiro vinho e depois chocolate e vou contar minha história para o Orlei e digo que não consegui fazer fotos de noite, então ele me mostrou como eu poderia fazer isto e passei o resto da noite batendo fotos do complexo até que o sono me chamasse para dormir, no outro dia a Russa (uma cadela akita do amigo Érico)vem me despertar subimos até a pedra que ele havia dormido pois optou por dormir nas caverna invés de barracas tomamos café com vista para os pampas e fomos encontrar com os outros, resolvemos a volta e mais uma escaladinha antes de partir optamos por uma via esportiva de 7c aberta por Gabriel e Gustavo que estão de parabéns pelo trabalho que estão desenvolvendo na região.
Então é hora de partir, uma parada na estrada para um pastel e continuamos até Porto Alegre e partir para Garopaba, obrigado a todos que fizeram possível estas escaladas um grande abraço para todos que desfrutamos destes dias maravilhosos de escaladas em Bagé este setor que respira a escada.
Bruno Alves

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Escaladas em Rio Dos Cedros


Era sexta feira a noite, estava em casa quando meu telefone toca, era o companheiro de escaladas Erico de Porto Alegre, avisando-me que estava em Torres pegando o companheiro Rato e estava vindo para cá, queria que companhasse-os em uma escalada em Rio dos Cedros - SC, no momento hesitei, então me pediu para baixar o croqui da vias e como chegar até Rio dos Cedros então quando vi as vias é claro que entrei nessa aventura.
Então de manhã por volta das 7:00h, passam na minha casa e começa uma viagem de 5:00h até Rio Bonito onde se encontra uma pedra fantástica para escalar com uso de equipamento movel e até mesmo com alguns artificiais bem delicados,como chegamos tarde escalamos somente uma via subindo a serra 5sup e acabamos entrando em outra via que não recordo o nome de 4grau que faz uma transversal para a esquerda o que nos resultou em um rapel longe de nossa base fazendo nós caminhar descalços entre pedras e bambuzais e assim fomos até chegar em nossos equipamentos mais uma analizada na parede e fei-se noite, hora de descer montar acampamento,jantar,banho quente, é banho quente que seu Antonio Bona está estruturando sua Estância para atender o público, sua familia é gente muito hospitaleira, ganhamos até um pão caseiro delicioso que degustamos ao amanhecer e fomos escalar,agora é hora das coisas esquentar,então saiu 6sup o Erico equipou, depois foi minha vez e em seguida o Rato, e na sequência Erico e Eu resolvemos fazer força na via Gosto Amargo 7a linda via predominando escalada em movel e visual alucinante e acabou nosso dia hora de descer e pegar a estrada. Agradeço os companheiros do sul que me levaram até lá,ao Seu Antonio Bona que permitiu nossa estadia em suas terras, ao Daniel da Garra Aventura que nos mostrou como chegar lá e a todos os escaladores que abriram as rotas de escaladas e a Deus por fazer tudo isso possivel.

1º Festival de Escaladas do litoral sul catarinense.

sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Escaladas e Risadas.....


Ontem pela manhã recebi a visita dos companheiros de escaladas de Laguna Arnaldo,Sapo e de sua esposa Su,fomos malhar alguns bouders na Ponta da Vigia,muitas escaladas e risadas em dobro;
Valeu galera de Laguna...

Escalada com Érico


Neste feriado recebemos a visita de um escalador de Porto Alegre,Érico esteve na Pedra Branca e escalou o Diedrinho 6b toda em movel,no outro dia pela manhã fomos até a ponta da Vigia para mostrar o setor de bouders,escalamos vários bouder e saiu um projeto de quase um ano de trabalho que faltava mais um crash,o bouder é Sempre Tente 7a,depois voltei para o trabalho mais ficou marcado para o fim da tarde a tentativa de encadenar o KRAKEN uma fenda de 4m de altura que vale 7a e se mandar o tetinho final vale 7b e o Érico mandou ver na fenda levando mais um sétimo para Porto.Obrigado pela presença.

Baleias Franca


Estava indo para casa quando meu telefone tocou,era o Rafa um amigo que faz parte da tripulação de um barco da Base Cangulo, uma operadora de mergulho e passeios náuticos que nessa época trabalha com observação de baleias, me fazendo um convite. Vamos fazer uma saida para ver baleias, gostaria de ir junto?
Claro que a minha resposta foi sim, no outro dia estava lá, saimos por volta das 9:30horas em direção a ponta vigia e logo elas foram aparecendo e se mostrando com suas caudas gigantes e seus borifos,e quando viram o barco logo trataram de dar uma espiadinha nesses amigos estranhos, então foi aquela folia era baleia por todos os lados do barco uma das experiências mais incriveis que já tive,deixo a minha gratidão a tripulação do barco: Albatroz,Hugo e Rafa e ao Murilo dono da operadora que sem estas pessoas esta experiência não ocorreria muito obrigado.

terça-feira, 31 de agosto de 2010

Trabalho em Altura


Equipe Garopaba Vertical prestou serviço de manutenção no telhado do Ginásio de Esportes de Garopaba, vedando os furos que molhavam a quadra de esportes,que agora podem realizar suas atividade mesmo com chuva.

sábado, 29 de novembro de 2008

O que é ecoturismo?


É uma forma de turismo voltada para a apreciação de ecossistemas em seu estado natural, com sua vida selvagem e sua população local intacta, gerando renda e desenvolvimentos para a região, oferecer aos turistas um contato íntimo com os recursos naturais e culturais por meio de uma consciência ecológica desenvolvendo o conservacionismo.

sexta-feira, 17 de outubro de 2008

Escalada Praia do Rosa


Preciso falar algo !!! A natureza fala por si !!!

Escalada Pedra Branca


Pessoal essa é a fomosa chaminé da pedra branca, depois dela você chega ao cume com uma vista deslumbrante da nossa terrinha !!! Vale apena.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

Expedição Pedra dos Ingleses


Ótima expedição !! Praia dos ingleses, com duas vias de aproximademente 80 mts, a equipe GV esteve nesse mês de agosto !! Acesso facil, boa caminhada, e vista exuberante.

sexta-feira, 25 de julho de 2008

Sol das Baleias


A Garopaba Vertical está com seu guia no projeto Sol das Baleias pela prefeitura muinicipal,

O que é ?


O projeto Sol das Baleias iniciou este ano em final de junho e vai até 21 de setembro. Na programação atividades educativas, auto-conhecimento, ecologia, lazer, e saúde. Mais informações você pode obter na Setur/Garopaba, fones: 3254 8426 e 3254 8324. Ou ainda no site da prefeitura: www.garopaba.sc.gov.br


Fonte: http://www.garopaba.sc.gov.br/site/noticia.php?cod=319